13 de outubro de 2008

As segundas, de manhã

Sabes como é acordar de um sonho,
Certo de que voas
E que um amigo, que aliás
Jamais conheceste,
Voltou.

E animas-te com a ânsia, breve,
De te fazeres à estrada e de com ele
Sentires nada.

Ou ao menos domar o volante e arrastares contigo
Aqueles que amas
E sentires tudo.

Sabes como é,
Enquanto te escanhoas e contemplas
As tuas sobras no espelho,
Fazes as contas

Ao percentil dos dias,
Dos que transportas no dorso, que
Gastaste em assinar o teu nome,

E o dia começa enquanto conduzes
Dando prioridade
Aos que te conduzem,

Passada aquela fresta de hora, o momento
Solitário,
O dia ressuscita e ultrapassa-te, ele é
Aquele carro,
E mais outro
E mais outro carro.

  © Blogger templates The Professional Template by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP  

blogaqui?
Web Pages referring to this page
Link to this page and get a link back!